Qual o próximo passo para um Arquiteto recém-formado?

Arquiteto recém-formado? Esse artigo é para você.

Nos últimos 10 anos, com o crescimento da população, os incentivos do governo em habitação e infraestrutura deram a muitas famílias a chance para conseguir uma casa própria, isso aqueceu o número de arquitetos recém-formados no Brasil.

Infelizmente, chegou ao Brasil uma crise econômica e o setor da construção civil foi um dos primeiros a ser atingido. As vendas dos imóveis começaram a cair e muitas áreas adjacentes à arquitetura acabaram sendo afetadas.

Mas saiba que por mais difícil que esteja para encontrar o primeiro trabalho na área, existem vários arquitetos, inclusive recém-formados, que estão se dando bem. Em setores como o de reformas para a classe C e D que tem crescido bastante ou em outras áreas da arquitetura que já mencionei neste vídeo aqui.

Com o objetivo e ajudar e incentivar os recém-formados, acompanhe o artigo.

Ainda na faculdade de Arquitetura

arquiteto recém-formado

Um problema decorrente ainda da graduação de arquitetura é o desânimo que acaba surgindo durante o curso entre os alunos. Isso faz com que os alunos esqueçam do objetivo final que é se tornar um profissional de qualidade.

A grande quantidade de trabalhos à prazos apertados pode sobrecarregar o estudante, que acaba não conseguindo fazer tudo com excelência.

A principal dica aqui é: organize-se. A faculdade pode sim ficar bem pesada, mas com muita organização e disciplina é possível fazer tudo e conseguir tirar o máximo das matérias e professores, adquirindo bastante conhecimento.

Esse é outro ponto importante. Quanto mais conhecimento você conseguir adquirir durante a faculdade mais fácil será sua inserção no mercado de trabalho.

Na maioria dos cursos ainda falta uma base sólida em gestão empresarial ou empreendedorismo. Muitos arquitetos já se formam pensando em abrir o próprio negócio, mas na maioria das vezes não tem noção nenhuma de gerenciamento.

Tente já durante a faculdade se aprimorar em todos esses quesitos que podem ser necessários. Se prepare para vários quadros de mercado de trabalho.

Quais são as áreas que um arquiteto recém-formado pode atuar?

quais são as áreas que o arquiteto pode atuar

Quem não conhece a arquitetura tende a pensar que o arquiteto está fadado à projetar casas pelo resto da vida, mas não é bem assim. Esta é uma das áreas menos limitantes que existem e as opções são infinitas.

As principais áreas de atuação do arquiteto são:

Paisagismo – Trabalha a composição entre a arquitetura e o espaço no qual ela está inserido;

Urbanismo – É o planejamento do espaço urbano.Envolve desde soluções ao sistema de transporte à criação de conjuntos habitacionais e até mesmo projetos para o saneamento básico;

Tecnologia da construção – Busca técnicas e materiais para garantir o melhor aproveitamento da luz natural e conforto térmico;

Restauro – É a preservação e o restauro de patrimônios históricos;

Projeto – É a área que projeta os mais diversos ambientes, desde de casas e apartamentos à edifícios, comerciais ou residenciais.

Então, qual caminho devo seguir?

qual-caminho-seguir-na-arquitetura

Bom, quando se termina uma faculdade tão longa e difícil como é a de Arquitetura, é normal se sentir um pouco perdido. Faz parte da construção de uma carreira definir qual é o melhor caminho a seguir.

Veja também:  Como Escolher as Cores do Projeto? [2 DICAS ESSENCIAIS]

É também bastante difícil escolher entre virar empregado de uma empresa e aprender com ela, ou seguir o seu próprio caminho, empreender e correr os próprios riscos e consequentemente colher os frutos dos próprios acertos.

Por isso, antes de mais nada, você deve ter em mente  que deve seguir o caminho para qual você se sente mais preparado, onde você possa aprender e evoluir o seu lado profissional, te deixando feliz.

A arquitetura é uma área muito ampla e opções não faltam. Separe um tempo para se adaptar e perceber as áreas com as quais você prefere trabalhar, tudo fica mais fácil quando se tem um direcionamento.

Qual área da arquitetura da mais dinheiro?

qual-área-da-arquitetura-dá-mais-dinheiro

A arquitetura possui muitos nichos e cada um tem um porte e uma necessidade, sendo assim, é importante ressaltar que cada área de atuação possui uma média salarial diversa, tudo depende da realidade de cada segmento.

A remuneração de um arquiteto depende de “N” fatores como, a cidade em que está inserido, o tipo de trabalho que é feito, o nicho, entre outros. O que podemos passar com certeza são as áreas que estão em alta e são consideradas melhores. São elas:

  1. Planejamento urbano;
  2. Paisagismo;
  3. Restauro de edifícios;
  4. Arquitetura promocional;
  5. Luminotécnica;
  6. Acompanhamento e Administração de Obra;
  7. Carreira acadêmica;
  8. Especialista em BIM;
  9. Fotografia;
  10. Design de videogame.

Quanto ganha um arquiteto no Brasil?

De acordo com a Lei 4.960 de 1966, e como indicado pelo sindicato da profissão, o piso salarial de um arquiteto para um jornada de 8 horas diárias deveria ser de 8,5 salários mínimos mensais – que, em 2020, vale R$1.045. No entanto, a realidade de boa parte dos profissionais não é bem assim.

O último levantamento feito pelo Ipea, ainda em 2013, mostra que a média salarial do arquiteto brasileiro é de R$ 4.206.

O Catho é um site de empregos que reúne vagas de todo país das mais diversas áreas, a última pesquisa salarial feita por eles, onde são apontadas as remunerações médias ofertadas para os profissionais de arquitetura, no Brasil, são:

  1. Decorador: R$ 1.263;
  2. Paisagista: R$ 2.712;
  3. Projetista: 3.577;
  4. Arquiteto Pleno: R$ 4.395;
  5. Edificações: R$ 5.059;
  6. Urbanista: R$ 5.170;
  7. Coordenador: R$ 7.596;

Informalidade

como-é-a-vida-do-estudante-de-arquitetura

Um dos grandes problemas do mercado de trabalho são os profissionais informais. Muitas vezes, arquitetos recém-formados, acabam trabalhando à margem das leis trabalhistas.

Isso se torna um desafio a ser enfrentado por todos os profissionais da área. Muitos escritórios que já estão a mais tempo no mercado de trabalho acabam procurando esses profissionais. Com contratos feitos por produção, eles “empregam” formalmente esses profissionais com o objetivo de atender algumas demandas.

Os trabalhos informais podem prejudicar quem escolhe trabalhar de forma mais profissional e correta, pois trabalhos de qualidade e valores justos, correspondentes à essa qualidade, são trocados por trabalhos informais cobrados à preços de banana.

Já pensou em abrir seu próprio escritório?

arquiteto recém-formado

Abrir seu próprio escritório de arquitetura pode ser um processo desafiador. Pode demorar um pouco até que o escritório esteja funcionando plenamente, além de que o processo pode ser bastante burocrático e um pouco caro.

Mesmo assim, muitos profissionais tem o sonho de empreender e abrir sua própria empresa. Tudo que é bem planejado tem mais chances de dar certo, então é possível sim que um arquiteto recém-formado tenha um escritório de sucesso. É tudo questão de planejamento e paciência.

É muito importante ter os objetivos a serem conquistados bem claros , pois são eles que vão guiar as ações, estabelecendo prioridades, selecionando as propostas mais interessantes e criando métricas de sucesso. Além de permitir um foco nas maiores dificuldades do profissional.

Veja também:  Como é a Vida do Estudante de Arquitetura: 9 Tópicos

A importância do estágio

Em todas as universidades, os estágios são obrigatórios para a conclusão de curso e te dão uma melhor noção do funcionamento de um projeto e de como lidar com os clientes.

Eles também podem ser muito importantes quando se é um  arquiteto recém formado e não se sabe que caminho seguir, já que  a partir deles você  ganha experiência que vai te permitir escolher qual o melhor caminho para você.

Tenha em mente que como um arquiteto recém formado, nem sempre você vai ter uma vivência muito relevante e podem te faltar certas habilidades que não apreendemos na faculdade, por exemplo, você nem sempre vai saber lidar com a gestão da obra para que os projetos saiam do papel perfeitos.

Neste caso o estágio pode refinar suas habilidades, além de ser uma ótima forma para que você possa definir o que você realmente gosta de fazer na área e o que vale a pena você seguir.

Durante o seu período de estágio se questione?

  1. O que eu gosto de fazer durante minhas atividades?
  2. Quais destas atividades eu me vejo fazendo todos os dias da minha vida?
  3. Qual é a parte que eu mais domino e gosto no estágio?

Existem passos que são dados ainda dentro da própria faculdade e/ou no estágio, por exemplo, o arquiteto recém formado já pode ter construído um excelente Networking.

Bons contatos são importantes pois eles podem te apoiar e auxiliar de maneira justa e eficiente, o que pode facilitar o início da sua carreira.

Demonstre a que veio!

arquiteto recém-formado

Tenha em mente que um arquiteto recém formado precisa demonstrar ter know-how (saber como fazer), e para demonstrar isso você pode construir o seu Portfólio.

Mesmo sendo um arquiteto recém-formado você pode ter um portfólio de projetos e aproveitar os desenhos desenvolvidos durante o seu curso, por exemplo.

É importante ter a capacidade entender a diferença de uma planta humanizada bem feita, ou identificar os erros e acertos de um projeto executivo. O olhar e o senso crítico precisam estar treinados aos detalhes. Por isso, o estudo é sempre fundamental.

Uma boa maneira de fazer isso é treinando, desenhando a mão ou trabalhando no Sketchup não importa, o que vai fazer a diferença na hora de conquistar o seu cliente ou futuro patrão é o quanto seu projeto é visualmente bonito, financeiramente viável e estruturalmente seguro.

Todo o profissional precisa mostrar a que veio. Por isso, invista em seu marketing  pessoal e deixe os outros saberem o que você está fazendo, se você não tem cases reais crie os próprios (como já disse).

Tente sempre criar o seu próprio estilo e senso estético e mostrar como e com o que você gosta de trabalhar para despertar interesse nas pessoas, assim portas vão ir se abrindo no âmbito profissional e você estará pronto pra entrar nelas. Isso aqui vale muito se você decidir seguir pelo empreendedorismo…

Enfim, se você se vê pronto para empreender coloque o medo no bolso e vai! Só dê uma paradinha antes para ler nosso artigo sobre Empreendedorismo na Arquitetura.

Veja também: https://arquitetoleandroamaral.com/como-ser-um-arquiteto-de-sucesso/

Bônus: 5 erros comuns de arquitetos recém-formados

Erro do arquiteto recém-formado

Erro do arquiteto recém-formado

Depois de anos de faculdade e estágios, você finalmente tem seu diploma em mãos. Como recém-formado a expectativa para a entrada no mercado de trabalho é grande.

Muitas vezes, na busca pelo sucesso no mercado, pelo emprego dos sonhos, ou até mesmo pela abertura da própria empresa, devido à falta de maturidade no mercado, o arquiteto recém-formado acaba cometendo alguns erros que são evitáveis.

Fique por dentro dos 5 erros mais cometidos por arquitetos recém-formados, e evite-os:

Não investem em Marketing

Manter uma rede sólida de networking é essencial. Professores, amigos, colegas e familiares, são normalmente os primeiros contatos e daí que saem os primeiros trabalhos para o arquiteto recém-formado.

Veja também:  Memorial Descritivo: O que é, para que serve e quais os 7 tipos?

Uma ferramenta que se tornou grande aliada nessa parte, hoje em dia, é a internet. Ela aproxima as pessoas e ajuda a ganhar visibilidade no mercado. Essas são ferramentas eficazes e que não devem ser desprezadas.

Mesmo que a pessoa não tenha habilidade de mexer com o computador, é possível contratar uma assessoria especializada neste tipo de serviço.

Param de estudar

Isso mesmo. Se engana quem acha que o fim da faculdade significa fim dos estudos. A arquitetura está em constante evolução e para acompanhar tudo isso e se manter atualizado é necessário sempre estudar.

Adquirir conhecimento nunca é demais e renovar suas referências será necessário. Lembre-se, ninguém nunca já sabe tudo, ou demais.

São descuidados com o que falam e vestem

Tudo começa com um bom diálogo. A falta de comunicação entre o arquiteto e o cliente ou a comunicação errada entre os mesmos pode não só levar a insatisfação mas a problemas.

É importante se comunicar com cuidado e clareza. Além disso a apresentação também conta. Sua aparência é seu cartão de visitas, por isso é estar sempre bem apresentável é essencial. E é por não investir nisso que muitas boas oportunidades são perdidas, e muitos clientes e parcerias são afastadas.

Esquecer o que é arquitetura

O planejamento e a construção de espaços envolvem muitas outras questões, além de simples apelo estético. O arquiteto precisa ter domínio sobre todas as etapas. Não se deve fazer tudo sozinho. Mas, também não se deve delegar demais a ponto de se esquecer de qual é o seu papel.

Os clientes querem arquitetos proativos, dinâmicos e flexíveis, que estejam fisicamente e mentalmente presentes em todos os momentos, desde a fase de orçamento até execução, fiscalização e aprovação.

São impacientes

O caminho para o sucesso é longo e pode demorar um pouco. Até que seja possível que você tome as rédeas de sua carreira, talvez ainda seja necessário responder a alguém.

É necessário ser paciente para aprender com os outros e consigo mesmo. Cobrar exageradamente de si pode te levar a tomar decisões erradas. O processo é mesmo devagar. Aprenda a aproveitar esse tempo para se aperfeiçoar.

Um dos piores erros que cometi quando me formei em Arquitetura

Logo após concluir a faculdade de Arquitetura eu cometi um grande erro, falo mais sobre ele no vídeo abaixo:

Conclusão

As dificuldades virão para todos os recém-formados, e a inserção no mercado de trabalho não é tão fácil, mas o seu sucesso profissional vai depender de como você encara isso. O importante é não desanimar.

Não esqueça que a arquitetura é muito ampla e existem inúmeros campos de trabalho e atuação. Devemos saber nos reinventar a cada dia, aprender mais e tentar novos horizontes. Explore várias áreas e opções.

E então, o que achou do artigo? Conte para mim nos comentários abaixo.