Como Projetar Calçadas: Passo a Passo

Você vai construir ou reformar sua calçada e está na dúvida sobre certas recomendações e especificações, saiba agora tudo sobre o mundo das calçadas e comece ainda hoje a sua obra.

Calçadas: Como projetar?

Calçadas: Como deve ser?

A calçada ideal deve ser segura, confortável e que te permita caminhar livremente até a sua casa ou outros pontos da cidade, pois é por ela que transitamos todos os dias. Uma calçada bonita, bem feita e conservada valoriza o bairro e a residência em que se encontra.

Normalmente uma calçada será composta por duas camadas, resultando em uma espessura de 8 a 12 cm. A primeira camada, que é conhecida como concreto magro possui uma espessura de 3 a 5cm, sendo feita somente para formar a base que irá receber a segunda camada, que deverá ter a espessura de 5 a 7 cm, sendo composta por concreto.

Calçadas: O que deve oferecer?

A calçada ideal deve oferecer:

Acessibilidade: Uma calçada que todos possam circular.

Continuidade: Piso liso, jamais rugoso, e que seja antiderrapante mesmo quando molhado.

Fluidez: Os pedestres devem conseguir andar a uma velocidade constante.

Segurança: Que seja segura, não oferecendo perigos de tropeços e quedas.

Espaço para socialização: Uma calçada ideal deve oferecer espaços de encontros, para que possamos interagir socialmente dentro da área pública.

Desenho da paisagem: Com uma paisagem de vegetação na calçada podemos ter climas mais agradáveis e contribuir para o conforto visual dos pedestres.

Definições

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro a calçada faz parte da rua, porém não é destinada a circulação de veículos, feita exclusivamente para pedestres, e quando o espaço for propicio, poderá ser feito á implantação de mobiliário, sinalização e vegetação. E a área de passeio é um espaço livre de interferências, mais voltada para o uso de ciclistas. Antes de projetar uma calçada devemos sempre pensar em pessoas com a mobilidade reduzida, mesmo que temporárias ou permanente, se encaixam neste grupo deficientes, idosos, obesos, gestantes e etc. E para garantir acesso a todos, devemos construir ou implantar rampas rebaixadas, tanto na calçada, quanto na área de passeio, promovendo o nivelamento entre calçada e a rua.

Em uma calçada encontramos três faixas de circulação que são:

Faixa livre: Área do passeio ou calçada destinada exclusivamente à circulação de pedestres. As dimensões mínimas para a faixa livre de uma calçada, passeios e áreas exclusivas é de 1,20m de largura. E ela deverá ser uma superfície regular, firme, contínua e antiderrapante acima de tudo.
ABNT NBR 9050:2010.

Faixa de serviço: Calçadas que possuem mais circulação e espaço serão implementadas rampas de acesso, postes de iluminação, sinalização de trânsito, árvores e mobiliário urbano como bancos, telefones, caixas de correio, lixeiras e bicicletário. Faixas de serviço poderão ser maiores que 0,75m.

Faixa de acesso: Esta faixa se encontra em frente a imóveis ou terreno, feitas para termos um espaço de passagem da área pública para a privada.

Calçadas: O que diz a lei

O proprietário do lote é responsável pela construção de calçadas em frente a sua residência e por fazer manutenções se necessário, mantendo sempre a área de passeio em perfeito estado de conservação.

Tudo isso baseado no Decreto nº. 5.296/04, que regulamenta as leis n° 10.048/00 e n° 10.098/00, que estabelecem normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. Enfoque na mobilidade urbana, construção dos espaços e nos edifícios de uso público e legislação urbanística.
A Lei 10.098/00 estabelece as normas gerais e os critérios básicos para a promoção da acessibilidade mediante a supressão de barreiras e obstáculos nas vias e espaços públicos, no mobiliário urbano, na construção e reforma de edifícios e nos meios de transporte e de comunicação.

Veja também:  Revit: o que é, como usar o programa e principais vantagens

É proibido

É totalmente proibido atrapalhar ou impedir, por qualquer meio, a circulação de pedestres em calçadas públicas. Será punido quem estacionar veículos sobre calçadas públicas e quem depositar entulhos, materiais de construção e lixo.

Calçadas: O que diz a lei?

Calçadas verdes

Em calçadas que não possuem um fluxo grande de pedestres, as faixas de serviço e acesso podem ser ajardinadas seguindo o padrão de calçadas verdes, nestas faixas ajardinadas não devem possuir arbustos que prejudiquem a visão e o caminho do pedestre. Para receber uma faixa de calçada verde a área de faixa livre deverá ter a largura mínima de 1,20m e para facilitar o escoamento das águas em dias chuvosos as faixas não podem estar muradas. Procure a Secretaria do Meio Ambiente do seu município, que deverá indicar as espécies mais adequadas.

Calçadas: Vegetação

Com a presença de arvores podemos ter climas mais agradáveis e contribuir para o conforto visual dos pedestres, e nos dias de chuva elas ajudam na retenção das aguas. Todo o trabalho de reparo destas arvores ficam disposição da Prefeitura, mas antes da plantação destas arvores devem ser estudados a dimensão da espécie escolhida, pois ela deve estar adequada a largura da calçada e não cimentar a base da arvore, para não causar prejuízo ao desenvolvimento da vegetação. Em sua volta deve haver o uso de grama e caixas de inspeção. Procure a Secretaria do Meio Ambiente do seu município, que deverá indicar as espécies mais adequadas.

Rebaixamento das calçadas

Travessia de pedestres

Os rebaixamentos das calçadas devem estar situados na direção do fluxo de pessoas, sendo localizados em esquinas ou adiante pela quadra. Os rebaixamentos podem ter diferentes formas e tamanhos, pois tudo depende da largura e características da calçada. É fundamental preservar o centro das faixas livre, ela deverá acompanhar a inclinação da rua não tendo mais do que 2% de inclinação transversal.

Esquinas

A esquina é algo que terá em toda calçada, portanto ela precisa estar sempre desobstruída. Os mobiliários de grande porte como bancas de jornal, devem ficar a 15 metros das esquinas e os mobiliários de médio e pequeno porte, como telefones e lixeiras devem ficar a 5 metros. Diferente das calçadas, a implantação das rampas nas esquinas é de responsabilidade da subprefeitura local. Contate-a e informe-se como proceder.

Caixas de inspeção

É preferencialmente que as tampas de caixas de inspeção, juntas e grelhas, sejam instaladas fora da faixa livre de circulação das calçadas, sendo niveladas com o piso. Caso as grelhas e juntas sejam instaladas na área de circulação, os vãos não poderão ser superiores a 15mm.

Calçada: Inclinação Transversal

A inclinação transversal de calçadas não deve ser superior a 3%, e nas faixas de acesso que seriam as rampas, a inclinação longitudinal deve ser na proporção de 1/12, o que corresponde a 8,33% de caimento.

Calçadas: Inclinação transversal

Calçadas: Sinalização tátil

Na sinalização tátil poderá ser encontrado dois tipos de piso que são:

Piso tátil de alerta: A função do piso tátil de alerta é justamente alertar sobre possíveis obstáculos que estejam pelo caminho, ele possui pequenas esferas em sua superfície e deve ser de uma cor contrastante com a do piso que se está instalado. Ele deve ser instalado em rebaixamentos de calçadas, faixas elevadas de travessia, nas plataformas de embarque e desembarque de ônibus, no início e termino de escadas, rampas e em elevadores.

Piso tátil direcional: O piso tátil direcional tem a função de direcionar e ao mesmo tempo orientar sobre o trajeto a frente. Deve ser instalado em áreas de circulação como vias públicas, corredores, espaços abertos e etc. Conforme a ABNT NBR 9050:2004 o piso direcional deve ser de uma cor contrastante com a piso adjacente e suas características de desenho, relevo e dimensão devem seguir as especificações contidas na norma.

Calçadas: Patrimônio Histórico

Cidades com centros históricos e acervos de patrimônio edificado também devem seguir às mesmas leis e códigos que regem todo o município, sendo que, por se tratar de conjunto urbano de valor patrimonial histórico e arquitetônico, devem também atender às legislações específicas.

Como fazer calçadas

Calçada de Pavimento Intertravado

Pavimento de intertravado consiste em blocos pré-fabricados de concreto, assentados sobre camada de areia, travados por contenção lateral e pelo atrito da camada de areia entre as peças.

Especificações

Resistência a compressão: fpk> 35 MPa.

Espessura da peça para tráfego de pedestres: 6 cm.

Base: utilizar brita graduada simples ou brita corrida compactadas sobre subleito também compactado.

Armadura da base: não se utiliza.

Veja também:  Como vender Projeto de Arquitetura: 1 Técnica Poderosa

Assentamento: peças de concreto são assentadas sobre uma camada de areia média de 3 a 5cm de espessura, disposta sobre a camada de base.

Juntas: as peças devem ser rejuntadas com areia fina.

Acabamento superficial: diversidade de cores, formatos e texturas.

Características

Durabilidade: elevada durabilidade, desde que respeitadas as características do produto, o modo de instalação e de manutenção.

Conforto de rolamento: adequado ao tráfego de cadeirantes e deficientes visuais.

Antiderrapante: as peças de concreto apresentam rugosidade adequada para evitar escorregamentos.

Drenagem: mediante projeto específico para esta finalidade, utilizando-se blocos especiais.

Tempo para liberação ao tráfego: imediato.

Limpeza: jato de água e sabão neutro.

Execução

1- Primeiro faça o nivelamento e compactação do subleito (terreno)

2- Instalação das contenções naturais, nivelamento e compactação da base.

3- Espalhamento e nivelamento da areia do assentamento.

4- Colocação das peças de concreto, alinhamento, cortes e ajustes.

5- Compactação inicial, revisão, ajustes, espelhamento de areia, rejuntamento e compactação final.

6- Limpeza e liberação do trafego.

Calçada com Placas pré-moldadas de concreto

Especificações

Resistência à compressão do concreto: 35 MPa

Resistência à abrasão: classe A e B, conforme NBR 12042 da ABNT

Espessura mínima das placas: 30 mm

Modulação das placas: 40×40 mm até 100×100 mm

Acabamento superficial: diversidade de texturas e cores

Tipo de Base: para pedestres: concreto magro com espessura de 5cm sobre solo compactado para placas fixas ou brita N.2 sobre solo compactado para placas removíveis.

Para veículos leves (entrada de carros): concreto traço 1:3:4 com 5 cm de espessura, armado com tela de aço CA 60 de 4,2 mm e malha 100×100 mm e cura mínima de 3 dias.

Para veículos pesados (caminhões, carro-forte): sob consulta ao fabricante

Tipo de assentamento: placas fixas: argamassa levemente úmida (farofa) traço1:6 (cimento: areia), com cura mínima de 2 dias;

Placas removíveis: sobre leito de pó-de-pedra

Características:

Limpeza; jato de água e sabão neutro

Intervenção: executada pontualmente. As placas fixas poderão ser danificadas na retirada, sendo necessária a sua substituição. As placas removíveis são retiradas com saca-placas, sendo totalmente reaproveitadas.

Durabilidade: elevada, desde que respeitadas as características do produto, de instalação, de uso e de manutenção

Conforto de rolamento: superfície sem ressaltos ou relevos irregulares, segura ao tráfego

Antiderrapante: acabamento superficial adequado

Drenagem: pode ser projetado para essa finalidade, sob consulta ao fabricante. Nas placas removíveis, a calçada é permeável

Tempo para liberação ao tráfego: após a cura de assentamento nas placas fixas e imediata nas placas removíveis

Execução:

1- Quebre a remoção da calçada velha.

2- Colocação de sub-base em ‘’bica-corrida’’ (pedra e pó de pedra).

3- Aplicação de argamassa tipo ‘’farofa’.

4- Assentamento de placas sobre ‘’farofa’’.

5- Calçada concluída, agora basta liberar o trafego.

Calçadas: Como fazer?

Calçadas de concreto armado

Especificações:

Resistência à compressão de concreto: fck> 20 MPa.

Espessura da placa para tráfego de pedestres: 5 a 6 cm.

Passagem de veículos leves: 8 a 10 cm.

Base: solo compactado com camada separadora de brita.

Armadura de base: somente para tráfego de veículos CA-60 (4,2 mm, malha 10 x 10 cm).

Juntas: são executadas em concordância com a modulação de estampagem. Devem ser previstas juntas de controle e de execução de obra.

Acabamento superficial: diversidade de texturas e cores.

Características:

Limpeza: Jato de água e sabão neutro.

Remoção: o piso é cortado de acordo com a modulação e refeito in loco com os mesmos produtos e estampas do existente.

Durabilidade: elevada, desde que respeitadas as características do produto, modo de instalação e de manutenção

Drenagem: superficial.

Conforto de rolamento: a superfície deve proporcionar, ao mesmo tempo, facilidade de tráfego e superfície antiderrapante.

Liberação ao tráfego: 24 h p/ tráfego leve de pedestres a 48 h. p/ tráfego de veículos leves.

Execução:

1- Preparação da área (compactação do terreno, colocação da camada de brita, formas de concretagem e tela).

2- Descarga, espalhamento e nivelamento da base de concreto (sarrafeamento).

3- Desempeno.

4- Aplicação do pigmento enrijecedor e queima.

5- Estampagem.

6- Aplicação de resina após execução de corte de junta de controle e lavagem.

7- Liberação ao trafego.

Calçadas de ladrilho hidráulico

Resistência a tração na flexão: valor individual: > 4,6 MP e média > 5,0 MPa.

Espessura da placa para tráfego de pedestres: > 20 mm (verificar formato da peça e tipo de assentamento).

Base: utilizar concreto magro com espessura de 3 a 5 cm.

Armadura de base: somente para tráfego de veículos CA-60 (4,2 mm, malha 10 x 10 cm).

Assentamento: as placas são assentadas com argamassa de consistência seca (“farofa”) ou argamassa colante sobre a camada de base.

Veja também:  Fluxograma na Arquitetura: O que é?

Juntas: as juntas entre as placas devem ser rejuntadas com a argamassa de rejuntamento.

Acabamento superficial: diversidade de texturas e cores.

Características:

Durabilidade: elevada durabilidade, desde que respeitadas as características do produto, o modo de instalação e de manutenção.

Conforto de rolamento: adequado ao tráfego de cadeirantes e deficientes visuais, devendo-se evitar texturas irregulares.

Antiderrapante: o acabamento superficial deve apresentar rugosidade adequada para evitar escorregamentos.

Drenagem: apenas superficial.

Tempo de liberação ao tráfego: no mínimo após cinco dias, sendo três para a cura da base e dois para a cura da argamassa de assentamento.

Limpeza: jato de água e sabão neutro.

Consertos: executados pontualmente, podendo ser necessária a substituição da placa.

Execução:

1- Compactação e nivelamento do terreno.

2- Lançamento, adensamento e acabamento da base de concreto magro.

3- Aplicação da argamassa de assentamento (tradicional ou argamassa colante).

4- Assentamento das peças e rejuntamento com nata de cimento.

5- Limpeza e abertura ao tráfego.

Perguntas Frequentes

Como fazer cálculo de concreto para calçada?

Para fazer o cálculo de concreto para calçada é utilizado o cálculo de volume feito em metros cúbicos (m³), e pode ser usado na construção de pilares, cintas, vigas e até mesmo lajes. A fórmula básica é a seguinte: V = L x C x H, sendo V = volume, L = largura, C= comprimento e H = altura.

Quanto custa para fazer uma calçada?

Para fazer uma calçada custa em média de R$ 100,00 por metro quadrado de calçada pronta, porém ela pode mudar de cidade para cidade ou valor de material.

Quantos sacos de cimento por metro quadrado de calçada?

Para cada metro quadrado de calçada você irá utilizar em média 2,03 sacos de cimento.

Quanto de material para fazer 1 metro cúbico de concreto?

Para fazer 1 metro cúbico de concreto, você irá utilizar de material 4,8 sacos de cimento, 0,6 metros cúbicos de areia e 0,6 metros cúbicos de brita.

Como calcular a quantidade de areia pedra e cimento?

Para calcular a quantidade de areia, pedra e cimento é utilizado de referência uma medida de cimento para três de areia peneirada. Ou seja, se em um metro quadrado utilizamos 60 litros de areia (número hipotético), usa-se 20 litros de cimento por metro quadrado.

Quanto um pedreiro cobra para fazer uma calçada?

Para fazer uma calçada um pedreiro cobra em média de R$ 160 a R$ 400 por metro quadrado, porém ela pode mudar de cidade para cidade ou valor de material.

Qual o custo do metro quadrado de piso de concreto?

O custo do metro quadrado de piso de concreto pode variar entre R$ 19 e R$ 40 o m2, sendo a opção mais utilizada e barata.

Quantos metros quadrados cabem em um metro cúbico de concreto?

Para saber quantos metros quadrados cabem em um metro cúbico, é necessário saber a espessura projetada da camada de concreto da laje e multiplicar pelo valor em metros quadrados. Por exemplo: laje de 75m² e 0,08 (0,08 metros ou 8 centímetros) multiplica-se 75 x 0,08 = 6m³ (seis metros cúbicos de concreto.

Como calcular a quantidade de areia brita e cimento?

Para calcular a quantidade de areia, brita e cimento se utiliza o dobro de água e o triplo de brita da quantidade de cimento usada.

Conclusão:

Depois deste artigo completo, acredito que agora você saiba tudo sobre o mundo das calçadas, e caso você queira ou seja obrigado pela prefeitura a construir uma calçada em seu terreno, está muito mais do que preparado. Então mãos á obra, mas nunca se esqueça de seguir as normas, para evitar complicações futuras.