Arquitetura grega: O que é, características e obras

Você já conhece a Arquitetura grega? Sendo considerada uma das mais importantes do mundo, por ter atravessado séculos e ainda inspirar novos projetos grandiosos, saiba mais sobre este estilo icônico e como ela influenciou na criação da arquitetura contemporânea.

Quando se fala em arquitetura grega, o que vem à nossa mente são monumentos e templos regados de detalhes, mas ela não é representada somente por isto. No entanto, a arquitetura grega passou por milhares de anos e até hoje serve como modelo para muitos arquitetos. Naquele tempo, tinha como princípios a racionalidade, a ordem, a beleza e a geometria, era um retrato das sociedades mais ricas culturalmente do mundo antigo. Vamos saber mais sobre isso?

Arquitetura grega: 6 Principais características

Arquitetura grega: História

A Arquitetura Grega começou na costa mediterrânea, nas ilhas do Mar Egeu, no Peloponeso, nas colônias gregas em Ionia (costa da Ásia Menor) e na Magna Grécia (colônias gregas na Itália e na Sicília) e hoje na Turquia, este período é considerado o que mais se destaca na arquitetura e cultura grega.

Com a mistura de povos que habitavam na região da costa mediterrânea, como os Egípcios, os Cicládicos, os Mesopotâmicos, Cretenses e indo-europeus, houve uma mistura de técnicas de construção, sabiam manusear o ferro, a madeira cedro, pedra calcária conhecida como mármore, entre outros.

Os primeiros a fazerem arte realista da história foram os gregos, algo essencial foi usar a representatividade da natureza como ela realmente é. Para se aprofundarem nisso, eles estudavam as proporções ideais para todos os componentes da arquitetura, de acordo com proporções matemáticas preestabelecidas.

Sendo criada com o objetivo de homenagear os deuses, como Zeus, Atena, Apolo e outros deuses gregos, a arquitetura grega teve início em VII a.C. e teve forte presença até o primeiro século d.C. Todos os que falavam grego podiam deslumbrar com suas construções, incluindo os habitantes das ilhas do Mar Egeu, no Peloponeso, nas colônias gregas em Lonia e na Magna Grécia, situada na Itália e na Sicília.

Sendo muito conhecida por conta da Mitologia grega e por ter tido suas construções feitas para homenagear os deuses, a arquitetura grega tinha uma grande importância para seu povo, além de fins religiosos, as grandes construções eram centros de vida social, ocorrendo eventos esportivos e civis, assim era possível celebrar em sociedade nas estruturas grandes e nobre e ao mesmo tempo, buscar uma aproximação com o poder divino.

Os templos são os cartões postais da Grécia, mas também foram construídos grandes teatros, estádios e praças, para que a população pudesse de fato conviver um com os outros e tivessem um lazer, nesses lugares já era possível exercer a ideia de democracia.

Além da busca por ficar mais perto de seus deuses, as obras gregas eram movidas por superação, a cada construção o objetivo de construir algo mais grande e majestoso era maior, sempre com o pensamento de por que não construir algo maior do que o último.

Sofrendo grandes mudanças ao longo dos anos, a arquitetura grega teve grande influência dos povo arcaico, com padrões estéticos egípcios, outras sociedades como a dos minoicos começaram a residir na Grécia, o que colaborou na criação do estilo grego que conhecemos hoje.

O desenvolvimento da arquitetura grega

A arquitetura grega se desenvolveu por influência da cultura micênica e outras culturas mediterrâneas, é importante ressaltar que eles sempre buscavam o aperfeiçoamento das suas técnicas.

A arquitetura grega tinha como plano tornar harmoniosa a vida pública e a vida religiosa. A parte clássica da arte grega aliou a estética e ética, política e religião, técnica e ciência, realismo e idealismo, beleza e funcionalidade, servindo a vida pública.

ARQUITETURA GREGA SURGIU

Na época, a região levou a criação de lugares mais adequados, templos religiosos foram criados para adoração aos deuses publicamente, pois para aqueles fiéis, os deuses habitavam nos templos. Além disso, foram construídas praças e teatros. Vale citar que a arquitetura grega era de caráter público, feita para utilizar em diversos eventos, dentre vários âmbitos (social, econômico, político, religioso), tendo em vista a contemplação daqueles lugares.

Arquitetura grega: Materiais

O material mais utilizado na arquitetura grega foi o mármore, sendo um material luxuoso que foi muito utilizado nas estruturas dos grandes templos, requisitando um trabalho fino para sua aplicação. As telhas em sua maioria eram feitas com alabastro, um material feito de minerais e gesso, as coberturas eram feitas com madeira. A argila foi pouco utilizada e quando havia um destino para ela, era para a fabricação de tijolos para construções pouco importantes.

Arquitetura grega: Materiais

Nem todas as construções gregas eram iguais. Na antiga arquitetura grega, ainda usavam as pedras, madeira e tijolos, fazendo o uso de forma bem parecida ao utilizado pelos egípcios e menos sofisticada do que a desenvolvida pelos romanos.

A arquitetura desse tempo passou por muitas mudanças. A principal influência no período arcaico foi o uso de técnicas egípcias. Com o tempo, muitas civilizações passaram a ser parte da Grécia, mais influências chegaram, como a dos minoicos e muitos outros.

Arquitetura grega: Características

As principais características da arquitetura grega foram:

  • Obras monumentais e grandiosas;
  • Finalidade de caráter público;
  • Simetria, perspectiva e proporções rigorosa;
  • Grande presença de colunas e pórticos;
  • Conceito de valorização do belo;
  • Exatidão no equilíbrio e rigor das formas.

Estas foram as características mais fortes deste período, mas nem todas as construções eram iguais, variava de acordo com sua importância.

O perfeccionismo e a valorização da beleza, tinham como base cálculos, regras, proporcionalidade e perspectiva exatas para que suas construções passassem grandeza e harmonia, matematicamente correto, com equilíbrio e rigor das formas, assim também como a simetria, monumentalidade, presença de colunas e pórticos na maioria das obras.

Os templos erguidos em locais mais altos, tinham um realce e valorização pelos efeitos da luz, além de que, dessa forma os templos eram vistos de vários ângulos.

As construções tinham como finalidade de uso público (templos, teatros e estádios), isto é, os valores estéticos estavam presentes na arte de modo geral, como na escultura, na literatura, na música, na pintura e em qualquer aspecto de presença cultural, na arquitetura grega excepcionalmente.

arquitetura grega características

Tinha no templo sua expressão maior e na coluna sua peculiaridade. A coluna marca a proporção e o estilo dos templos. Na arquitetura do período geométrico, entre os anos 900 e 725 a. C. As casas consistiam num plano irregular e os templos apresentavam planta ora longa e estreita, ora quase quadrada, com uma coluna central (ou fila central de colunas) como arrimo.

A ordem era baseada no diâmetro de uma coluna, com outros elementos derivando dessa medida. Podemos citar como importante fato na arquitetura grega, o aperfeiçoamento da ótica (perspectiva), que já começara a fazer parte do período clássico (500 a 300 a. C.).

Foi concebida para ser a morada dos deuses e derivada a partir do mégaro micénico. Era constituído por um telhado de duas águas, duas colunas na entrada, e uma parte interior dividida em três secções. A sua evolução foi demarcada pela gradual uniformização numa planta retangular.

O que inspirava as grandes construções gregas e o objetivo delas

A arquitetura grega estava diretamente ligada à mitologia grega, por isso, vale lembrar que as construções foram criadas para homenagear as divindades, tendo como objetivo se aproximarem do divino. A sociedade girava em torno desses lugares, naquele período, os eventos de qualquer âmbito eram realizados ali.

A arquitetura grega e a arte na maioria das vezes se confundiam, tinham como ideal a procura do belo, harmonia, e unidos por um propósito que buscava a relação entre o homem e o divino, buscava unir os princípios de vida pública e vida religiosa, o mundo e a sua origem e a vida e a morte, assim também como o interior do próprio Homem.

A maioria das construções gregas eram destinadas à adoração dos deuses (Zeus, Apolo, Atena etc.), eram grandes e majestosas. Mas não foi só de templos que a arquitetura grega foi formada, havia ainda os teatros, as praças e estádios, locais onde os cidadãos gregos praticavam a recém-ideia de democracia, uma busca do homem pela superação.

Arquitetura grega: Períodos

Como disse anteriormente, a arquitetura grega teve grande influência de outros povos que migraram para Grécia, isto fez com que o estilo se desenvolvesse por vários séculos e sendo dividido em três períodos ou fases, que veremos a seguir:

  • Fase Arcaica: Fase inicial de desenvolvimento da arquitetura grega entre os séculos VIII a.C. e V a.C. Esse período inicial aconteceu quando foram erguidas as primeiras edificações arquitetônicas, onde houve influência do mesmo estilo utilizado pelos povos egípcios, mas tarde, desenvolveu-se em decorrência da mistura de civilizações que habitavam naquele território. Pode-se afirmar que a arquitetura grega antiga é um retrato das sociedades mais ricas culturalmente do mundo antigo.
  • Fase clássica: Momento de ápice na arte grega, que acontece entre os séculos V a.C. até IV a.C.
  • Fase helenística: Fase de empobrecimento e modificações no estilo artístico grego, por causa da influência de diferentes culturas que migraram entre o século III a.C. até o início da era cristã.

Arquitetura grega: Períodos

Arquitetura grega: Escultura

As esculturas gregas estavam normalmente presentes dentro dos templos de adoração aos deuses, uma de suas características era o realismo e a grande preocupação com os detalhes, tudo para transmitir a beleza dos deuses da mitologia grega e de seus homens.

A escultura grega mais famosa é a de Zeus, o deus do Olimpo, em Olímpia, foi esculpida pelo artesão ateniense Fídias, no século V a.C. Os materiais mais utilizados nas esculturas foram o mármore, marfim e argila.

Note que a escultura grega era realista e preocupada em demonstrar os detalhes, os movimentos e a beleza dos homens e dos deuses mitológicos.

Arquitetura grega: Pintura

As pinturas gregas também eram fortemente presentes na arte grega clássica, sendo bastante realista e ligada ao antropocentrismo, suas obras eram normalmente de homens em cenas cotidianas ou em batalhas, os deuses mitológicos também estavam presentes nas pinturas.

Os pintores mais famosos foram Clítias, Exéquias e Sófilos, eles faziam suas pinturas em vasos e potes de cerâmica, e em algumas construções eram feitos murais com pinturas retratando os deuses gregos.

Arquitetura grega: Teatro

Quando falamos na arquitetura grega lembramos dos templos e dos teatros, sendo considerado um dos mais importantes elementos da cultura grega, os teatros eram grandes centros de célebres acontecimentos, que para muitos era o único momento de vida social na antiga Grécia.

O primeiro teatro foi feito para homenagear o Deus Dionísio, a fertilidade, divindade das festas e do vinho. Suas peças partiam da comédia até a tragédia e as encenações duravam o dia todo, para que conseguissem desenvolver o gênero e tema de atuação.

Arquitetura grega: Praça

Também chamada de ágora, eram as praças públicas da Grécia Antiga. Nela haviam assembleias onde os gregos debateram e votaram sobre justiça, obras públicas, leis e cultura. Lembrada como “o coração da cidade”, também eram de uso comercial, esportivo e religioso, já que os cidadãos podiam transitar livremente, fazer compras e declarar impostos.

Arquitetura grega: Estádios

Eram utilizados na prática de exercícios físicos, uma prática obrigatória nas escolas gregas, por isso os estádios eram muito usados para esportes. Um exemplo é o estádio Olympia.

Arquitetura grega: Habitações

As habitações particulares são muito diferentes das públicas, eram muito simples, sem nenhum requinte, construídas com tijolos e chão de terra batida, não havia projeto detalhado. Depois de um tempo evoluíram para casas de pedra, com paredes rebocadas e pinturas decorativas.

Arquitetura grega: Bouleuterion

Era sede do conselho, onde o orador ficava na parte inferior centralizada e os conselheiros ficavam nos degraus ao redor.

Arquitetura grega: Stoas

Era um tipo diferente de estrutura, tinha uma grande fileira de colunas apoiadas por uma parede lisa e coberta. Usadas como local de reunião, armazenamento e venda de mercadorias.

Perguntas frequentes

Qual é o símbolo da arquitetura grega?

O símbolo da arquitetura grega é o Parthenon, construído em Atenas, para homenagear a deusa da cidade, Atena.

Qual a função da arquitetura grega?

A função da arquitetura grega era de possuir um lugar democrático para comemoração e aproximação de seus deuses.

Quais as 3 ordens arquitetônicas trabalhadas pelos gregos em sua arquitetura?

Durante o desenvolvimento da Arquitetura Grega, nem todas as construções eram iguais ou eram feitas no mesmo padrão. Existiam três correntes próprias: a Dórica, a Jônica e a Coríntia, vamos saber mais sobre elas abaixo:

  • Dórico: Um estilo simples e com poucos detalhes de ornamentação, suas colunas não possuem base e são caneladas, o que gera uma sensação de firmeza, o Parthenon é o maior símbolo deste estilo, sendo construído em 447 a.C. e 138 a.D., com o tempo se tornou muito comum na Itália. Considerado o estilo mais simples, com ênfase na estrutura retangular, com poucos detalhes de ornamentação, cercada por uma fileira dupla de colunas, com um pórtico na frente e outro atrás. Cada coluna grega era segmentada por tambores;
  • Jônico: Um estilo marcado pelo acabamento detalhista e minucioso em toda a coluna, dando a sensação de leveza, o Erecteion é uma das melhores obras utilizando o estilo Jônico. Dividindo espaço com as cidades gregas em Ionia, na Ásia Menor e nas ilhas do Mar Egeu. Predominam o acabamento minucioso e detalhado ao longo da coluna. Os desenhos do estilo jônico são mais delicados, outra característica desse estilo são as bases circulares.Identificam-se os frisos que enfeitam a frente e atrás dos prédios;
  • Coríntio: É fácil confundir o estilo Coríntio com o Jônico, uma das poucas diferenças é a maior quantidade de ornamentos e detalhes, sendo decorada muitas vezes com folhas, foi o estilo menos utilizado pelos gregos, por conta da quantidade de detalhes, podemos encontrar muitas obras com este estilo em Roma, o Templo de Apolo Epicuro é um excelente exemplo do estilo Coríntio. O coríntio a princípio era muito utilizado na parte interior das edificações. Sua principal característica era o capitel das colunas moldado como um sino invertido cercado por folhas. Esse estilo veio durante o período helenístico, o Templo do Zeus Olímpico essas características puderam ser predominantes. Mas tarde foram os romanos que se adequaram nesse estilo durante a ascensão do Império Romano.

Qual parte da coluna é a mais importante para a classificação dos estilos arquitetônicos gregos?

A parte da coluna que é a mais importante para a classificação dos estilos arquitetônicos gregos é a Ordem Coríntia.

Quais são os legados gregos?

Os legados gregos foram os jogos olímpicos, a democracia e o teatro.

Quais são as partes de uma coluna grega?

As partes de uma coluna grega são o capitel, fuste e a base.

Qual foi o legado deixado por Roma?

O legado deixado por Roma foi o alfabeto, templos, numeração, aquedutos e diversos monumentos como o Coliseu e o Panteão.

Conclusão

Concluímos que arquitetura grega é um dos maiores legados culturais deixados pelos povos gregos da Grécia Antiga. Especificamente, foi na península do Peloponeso, próximo das ilhas do mar Egeu, que os arquitetos gregos desenvolveram estilos arquitetônicos que marcaram a história da arquitetura ocidental.

Lá iniciou-se as construções que trouxeram inovações para aquela época e servem de inspiração para muitos artistas em todo o mundo desde o início, até nos dias de hoje.

A arte grega era conhecida pelas formas perfeitas e a valorização do belo. Por isso, esses valores estéticos estavam presentes na pintura, na escultura, na literatura, na música e toda forma de manifestação cultural, inclusive na arquitetura grega.

A arquitetura grega é um dos maiores legados culturais deixados pelos povos gregos da Grécia Antiga.