Conheça o Mercado de Maquetes Eletrônicas: 6 Dicas Essenciais

Você estudou, se formou, já atuou em alguns (ou vários) projetos até que finalmente se depara com o que quer realmente fazer: maquetes eletrônicas.

Mas então, como atuar no mercado de maquetes eletrônicas? Este mercado que está em expansão na arquitetura, pois projetos em 3D tendem a impressionar mais os clientes, além de facilitar o trabalho, pois torna o projeto mais realista e auxilia na identificação de possíveis vícios ou problemas que só seriam verificados durante a execução ou até mesmo após a conclusão da obra.

 

Então, por onde começar?

Depois de identificar que é isso mesmo que você deseja fazer, para aprender a como atuar no mercado de maquetes eletrônicas o conselho básico é: estude! E estude muito. Os projetos já fazem parte do dia a dia do arquiteto, mas as maquetes eletrônicas são um diferencial que exige muita dedicação. Pra começar, é preciso que você domine plenamente os desenhos arquitetônicos. É a partir deles que seu trabalho irá “evoluir” para uma maquete eletrônica tridimensional. Domine o sistema CAD 2D para poder se aprofundar nos sistemas em 3D.

 

BANNER-MATERIAIS-GRATUITOS

 

Requisitos técnicos

É preciso investir em um bom computador. Os softwares 3D são “pesados” e exigem uma máquina de alta performance. Para rodar esses programas para atuar no mercado de maquetes eletrônicas sem dificuldades, você precisa de um bom processador (como intel core duo ou quad), placas de vídeo com ao menos 1Gb e memória de pelo menos 4Gb de RAM.

Qual programa utilizar?

Depende de qual o seu objetivo, mas se você deseja criar uma maquete eletrônica bem completa e realista, é bem provável que precise trabalhar com mais de um software. Há diversas opções no mercado. Alguns dos mais utilizados são:
– Sketchup: possui uma versão gratuita e uma versão paga; é muito utilizado para criação inicial do projeto e renderização – processo que deixa os elementos mais realistas. É um dos programas mais utilizados por profissionais.
– Blender: software livre para a renderização de projetos.
Kerkythea: software gratuito que confere ao projeto efeitos de reflexos, luz e textura.
– V-Ray: programa de renderização que deixa os projetos com ares de fotografia.
– 3D Studio Max: Utilizado em conjunto com o AutoCAD, é um programa de difícil utilização e auxilia na renderização e aplicação de materiais, luzes e animação.

Veja também:  Maquete Eletrônica: importância, vantagens e principais programas

 

Se quiser saber mais a fundo sobre qual programa utilizar, assita ao nosso vídeo: Qual melhor programa para desenhar em 3D.

Photoshop: não é um programa específico para a criação de maquetes eletrônicas, mas auxilia na finalização, como detalhes de sombra, brilho, cor e contraste.

 

Onde atuar?

O mercado está em constante expansão, por isso existem diversas oportunidades. Alguns escritórios de arquitetura trabalham somente com maquete eletrônica. Outros locais contratam um profissional para realizar apenas essa etapa do projeto. Você pode atuar como funcionário da empresa ou pode trabalhar como freelancer ou micro-empresário, fornecendo maquetes eletrônicas para diversos escritórios.

 

Tipos de serviços a oferecer

Assim como no mercado de arquitetura em geral, no mercado de maquetes eletrônicas você pode escolher um nicho e se focar nele. Algumas opções são a visualização de produtos, decoração e planta baixa em 3D, modelagem de projetos em 3D para arquitetos e engenheiros, passeios virtuais em construções, animações em ambientes planejados, visualização de interiores e exteriores, estandes para eventos, entre muitos outros.

A questão aqui vai depender do seu portfólio de arquitetura!

 

Tenha paciência

A primeira vista pode até parecer que desenvolver projetos de maquetes eletrônicas é um trabalho muito semelhante com o que o arquiteto já faz, mas os softwares exigem muito estudo até que você consiga dominá-los e tirar o melhor proveito deles. Se você é autodidata, dedique-se a assistir tutoriais e participe de fóruns online, neles é possível trocar muita informação valiosa. Ou você pode optar por realizar um treinamento específico para a ferramenta que você escolheu utilizar. Busque sempre locais ou empresas com referências para evitar que você desperdice seu tempo e seu dinheiro.

 

Nunca pare de estudar

Os softwares estão sempre se atualizando, por que você acha que não precisa se atualizar também? Fique sempre ligado nas novidades, atualizações e tendências do mercado. O profissional que é expert hoje, se não se atualizar constantemente será obsoleto em pouco tempo.

Veja também:  Computador para Maquete Eletrônica: Qual o melhor?

5 Dicas Para Ter Sucesso No Trabalho Com Maquetes Eletrônicas

Todo mundo pensa que maquete eletrônicas são um um bicho de sete cabeças, mas, na verdade, isso não é bem verdade, veja algumas dicas para você se dar bem nos seus projetos e criar projetos incríveis para os seus clientes e para o seu portfólio.

Antes de qualquer coisa é necessário entender que existem diversos softwares que fazem parte do trabalho, eles ajudam a criar seu projeto, modelando, texturizando e dando vida para uma ideia ou um esboço, eles são responsáveis por tornar tudo mais real, o que conquista os clientes, já que eles conseguem se visualizar no espaço e naquela realidade.

Confira aqui alguns “softwares” gratuitos para você criar maquetes eletrônicas:

  • Blender
  • SketchUp
  • Revit

Existem outros no mercado e esses são apenas alguns que você pode usar na criação dos seus projetos e você encontra manuais e tutoriais que ajudarão você a produzir maquetes eletrônicas com qualidade.

Agora que já entendeu porque isso tudo é importante, veja 5 coisas que você precisa saber para se dar bem na hora de montar os seus projetos.

 

1. “Software”

No mercado existem vários programas, como dissemos, que ajudam a construir o projeto do seu cliente e cada um possui características e configurações diferentes, o ideal é usar aquele “software” que você tem mais afinidade.

Quanto mais você conhece a ferramenta, mais possibilidades na hora de construir o projeto, claro que nada impede de você aprender outros, mas quanto mais você estudar as funções mais fácil será desenvolver e apresentar maquetes eletrônicas surpreendentes.

Quanto mais facilidade e domínio sobre o programa você tiver, melhor será apresentação.

Neste artigo abordo um pouco mais sobre os softwares disponíveis para fazer maquetes eletrônicas!

2. Estudar é essencial

Aprender é o melhor caminho, desenvolver as maquetes virtuais, depende de tempo e estudo, apesar de inúmeros “softwares”, existem recursos que podem tornar seus projetos mais realistas e com uma riqueza de detalhes muito maior. Quanto mais recursos conhecer, melhor será seu portfólio.

Escolha seu software predileto, ou o que complementará melhor o seu trabalho e mão na massa!

Nós oferecemos um curso completo de Vray+Sketchup+Photoshop que pode ajudar você a melhorar a suas habilidades para criação de maquetes eletrônicas, para conhecê-lo basta clicar aqui!!!

BANNER-MATERIAIS-GRATUITOS

3. Pratica leva a perfeição

Quanto mais você praticar melhor será na desenvoltura dos seus projetos, dependendo do software pode levar mais tempo que outros e não se importe se um determinado arquiteto usa tal programa, o que importa é o seu resultado e se ele atinge as expectativas do cliente.

Veja também:  O que é Promob, para que serve, como usar e benefícios?

Claro que há referências no mercado, quanto mais praticar o que aprendeu melhor será o resultado.

 

4. Visualização do projeto

Quando você apresenta um projeto 2D para um cliente, nem sempre todos os detalhes são visíveis, mas quando você mostra uma maquete eletrônica a coisa muda de figura.

É possível ver o projeto todo, detalhes da construção, algo que poderia passar desapercebido e isso é um diferencial no mercado.

Além disso, quando o cliente vê o projeto quase real, ele pode opinar com mais clareza e sanar todas as dúvidas, ele consegue se imaginar no espaço e se sentir parte dele mesmo que ainda não seja real, e isso certamente fideliza o cliente.

 

5. Resultado é puro merecimento

Apesar de haver outros recursos importantes, como texturização, modelagem, sombra e luz, materiais e etc. é necessário entender que a criação da maquete eletrônica não acontece sozinha.

O resultado é baseado em todo o seu esforço e aprendizado, por isso frisamos que aprendizado, pratica e uma boa ferramenta são os principais elementos para que tenha um bom portfólio e conquiste novas oportunidades.

Por isso busque referencias e inspiração aonde estiver, anote o que acha importante e que vale a pena ser lembrado, crie coisas para você mesmo, isso vai ajudar a definir o seu estilo, e esteja pronto para conquistar muitos clientes por aí.