Como atuar no mercado de maquetes eletrônicas

Você estudou, se formou, já atuou em alguns (ou vários) projetos até que finalmente se depara com o que quer realmente fazer: maquetes eletrônicas.

Mas então, como atuar no mercado de maquetes eletrônicas? Este mercado que está em expansão na arquitetura, pois projetos em 3D tendem a impressionar mais os clientes, além de facilitar o trabalho, pois torna o projeto mais realista e auxilia na identificação de possíveis vícios ou problemas que só seriam verificados durante a execução ou até mesmo após a conclusão da obra.

 

Então, por onde começar?

Depois de identificar que é isso mesmo que você deseja fazer, para aprender a como atuar no mercado de maquetes eletrônicas o conselho básico é: estude! E estude muito. Os projetos já fazem parte do dia a dia do arquiteto, mas as maquetes eletrônicas são um diferencial que exige muita dedicação. Pra começar, é preciso que você domine plenamente os desenhos arquitetônicos. É a partir deles que seu trabalho irá “evoluir” para uma maquete eletrônica tridimensional. Domine o sistema CAD 2D para poder se aprofundar nos sistemas em 3D.

 

Requisitos técnicos

É preciso investir em um bom computador. Os softwares 3D são “pesados” e exigem uma máquina de alta performance. Para rodar esses programas para atuar no mercado de maquetes eletrônicas sem dificuldades, você precisa de um bom processador (como intel core duo ou quad), placas de vídeo com ao menos 1Gb e memória de pelo menos 4Gb de RAM.

 

Qual programa utilizar?

Depende de qual o seu objetivo, mas se você deseja criar uma maquete eletrônica bem completa e realista, é bem provável que precise trabalhar com mais de um software. Há diversas opções no mercado. Alguns dos mais utilizados são:
– Sketchup: possui uma versão gratuita e uma versão paga; é muito utilizado para criação inicial do projeto e renderização – processo que deixa os elementos mais realistas. É um dos programas mais utilizados por profissionais.
– Blender: software livre para a renderização de projetos.
– Kerkythea: software gratuito que confere ao projeto efeitos de reflexos, luz e textura.
– V-Ray: programa de renderização que deixa os projetos com ares de fotografia.
– 3D Studio Max: Utilizado em conjunto com o AutoCAD, é um programa de difícil utilização e auxilia na renderização e aplicação de materiais, luzes e animação.

 

Se quiser saber mais a fundo sobre qual programa utilizar, assita ao nosso vídeo: Qual melhor programa para desenhar em 3D.

– Photoshop: não é um programa específico para a criação de maquetes eletrônicas, mas auxilia na finalização, como detalhes de sombra, brilho, cor e contraste.

 

Onde atuar?

O mercado está em constante expansão, por isso existem diversas oportunidades. Alguns escritórios de arquitetura trabalham somente com maquete eletrônica. Outros locais contratam um profissional para realizar apenas essa etapa do projeto. Você pode atuar como funcionário da empresa ou pode trabalhar como freelancer ou micro-empresário, fornecendo maquetes eletrônicas para diversos escritórios.

 

Tipos de serviços a oferecer

Assim como no mercado de arquitetura em geral, no mercado de maquetes eletrônicas você pode escolher um nicho e se focar nele. Algumas opções são a visualização de produtos, decoração e planta baixa em 3D, modelagem de projetos em 3D para arquitetos e engenheiros, passeios virtuais em construções, animações em ambientes planejados, visualização de interiores e exteriores, estandes para eventos, entre muitos outros.

A questão aqui vai depender do seu portfólio de arquitetura!

 

Tenha paciência

A primeira vista pode até parecer que desenvolver projetos de maquetes eletrônicas é um trabalho muito semelhante com o que o arquiteto já faz, mas os softwares exigem muito estudo até que você consiga dominá-los e tirar o melhor proveito deles. Se você é autodidata, dedique-se a assistir tutoriais e participe de fóruns online, neles é possível trocar muita informação valiosa. Ou você pode optar por realizar um treinamento específico para a ferramenta que você escolheu utilizar. Busque sempre locais ou empresas com referências para evitar que você desperdice seu tempo e seu dinheiro.

 

Nunca pare de estudar

Os softwares estão sempre se atualizando, por que você acha que não precisa se atualizar também? Fique sempre ligado nas novidades, atualizações e tendências do mercado. O profissional que é expert hoje, se não se atualizar constantemente será obsoleto em pouco tempo.

 

Quer saber quais são as vantagens de atuar no mercado de  maquete eletrônica? Dá uma conferida no vídeo abaixo!

 

Cursos Completos: https://arquitetoleandroamaral.com/cursos
Materiais Gratuitos: https://arquitetoleandroamaral.com/materiais-gratuitos
Instagram: https://arquitetoleandroamaral.com/instagram
Facebook: https://arquitetoleandroamaral.com/facebook
Youtube: https://arquitetoleandroamaral.com/youtube
E-mail: [email protected]