Como fazer um Projeto Elétrico Residencial simples ou completo?

Projeto elétrico residencial, tudo o que você precisa saber. Você já parou pra pensar que está cercado de eletricidade por todos os lados? Pois é, estamos tão acostumados com ela que nem percebemos que existe. Na realidade, a eletricidade é totalmente invisível o que temos são somente os efeitos que ela traz.

A parte elétrica de uma casa ou apartamento pode dar muito problema se não for feita de maneira correta e por um bom profissional. Ainda hoje, muitas pessoas não compreendem a importância de um projeto elétrico residencial.

Você sabe o passo-a-passo para fazer um projeto elétrico residencial?
Se você quer aprender as principais etapas na elaboração de um projeto elétrico residencial, então, continue lendo esse artigo.

O que é projeto elétrico residencial?

projeto elétrico residencial

O projeto elétrico residencial é o modo gráfico e escrito da instalação com todos os seus detalhes.

Esses detalhes são pontos de localização e utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão em circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total, entre outros.

Todas as instalações feitas em um projeto elétrico residencial devem ser feitas por um profissional especializado, ainda na planta, o projeto residencial ordena o porte da instalação, designa circuitos e diferencia os materiais que serão usados na obra.

Também compete ao projeto elétrico residencial definir pontos de luz e eletricidade a partir de uma análise das necessidades de cada espaço e dos aparelhos eletrônicos que serão utilizados.

Vantagens e desvantagens de um projeto elétrico residencial

A vantagem de fazer um projeto elétrico é que garante aos futuros moradores a qualidade e segurança de uma edificação estável. Mas em contrapartida, a não realização de um projeto elétrico residencial, ou um projeto mal feito, pode resultar em delicados pontos opostos a estes.

Veja então uma lista de vantagens e desvantagens:

Vantagens:

  • Projeto efetuado de acordo as normas vigentes;
  • Dimensionamento correto e personalizado conforme com as necessidades do cliente;
  • Lista detalhada de materiais para orçamento, impedindo sobras e desperdícios;
  • Redução de custo na compra de materiais;
  • Facilidade em eventuais manutenções.

Desvantagens:

  • Instalações desconformes as normas vigentes;
  • Superdimensionamento e Subdimensionamento de circuitos;
  • Falta de segurança nas instalações;
  • Custos ficam mais elevados devido ao superdimensionamento.

Compreende-se, que a falta de um planejamento, pode causar muitos problemas, seja qual for à área, precisa de organização para que não afete os prazos de conclusão dos projetos.

Para se obter um projeto elétrico residencial perfeito é necessário compreender todas as normas técnicas de acordo com a especificação do projeto, trazendo segurança as pessoas e a funcionalidade da instalação.

Projeto elétrico residencial simples

projeto elétrico residencial

O projeto elétrico residencial simples é aquele que cumpre todas as indicações da NBR-5444 e contém os principais detalhamentos necessários para a perfeita execução desse projeto, compreendendo:

  • Projeto detalhado;
  • Lista de materiais;
  • Memorial descritivo.

Projeto elétrico residencial completo

O projeto elétrico residencial completo é aquele que cumpre todas as indicações da NBR-5444 e contém todos os detalhamentos desde o elétrico ao luminotécnico, compreendendo:

  • Memorial de cálculo;
  • Projeto detalhado;
  • Memorial descritivo;
  • Projeto SPDA;
  • Luminotécnico;
  • Lista de materiais.

Quem pode assinar projetos elétricos residenciais?

Técnico em eletrônica pode assinar projeto elétrico residencial?
Os profissionais de nível técnico (eletrotécnicos) ou superior da área de elétrica (engenheiros) que possuem o registro ativo no CREA já estão habilitados a assinar projetos elétricos residenciais.

A execução desse projeto elétrico residencial pode ser feita por qualquer profissional capacitado, sendo que para isso é necessário interpretar o diagrama elétrico.

Elementos do projeto elétrico residencial

projeto elétrico residencial

Para entender um projeto elétrico residencial (ou projeto de elétrica) é preciso conhecer os componentes das instalações, seus modelos e tipos principais.

Do poste de medição para o imóvel a responsabilidade deixa de ser da empresa de energia e passa a ser do responsável do imóvel, por isso é de extrema importância saber como instalações pré-existentes foram projetadas e executadas, se há ligações de alta potência e quantas fases estão disponíveis.

Para começar, precisamos verificar o que precisa constar no projeto elétrico residencial final, na folha de desenho técnico.

  • A prancha (folha) do projeto deve ser montada de acordo com o padrão da série A (A0, A1, A2, A3, A4), definidos na NBR-10068.

Também deve ter:

  • a legenda (carimbo ou selo) com informações do projeto,
  • anotações técnicas;
  • data de projeto;
  • escalas utilizadas na arquitetura;
  • proprietário;
  • autor do projeto etc.

Os elementos comuns da prancha final são:

  • Planta baixa com locação de pontos, caixas, quadro, tubulações e fiações;
  • Quadro de cargas com dados resultantes de cálculos;
  • Previsão de cargas (Normalmente exigido em trabalho acadêmico);
  • Diagrama unifilar apresentando esquemas de circuitos, quadros e medidor;
  • Cálculo de demanda (pode ser integrado ao quadro de cargas);
  • Legenda de convenções (simbologia usada no projeto);
  • Anotações e recomendações técnicas importantes (quando houver);
  • Detalhes construtivos (conforme projeto) como caixas de passagem, aterramento, medidores etc.

Planta baixa

planta baixa projeto elétrico residencial

Planta Baixa é o nome que se atribui ao desenho técnico esquemático de uma futura construção que se dá a partir de um corte horizontal imaginário à altura de 1,50m do piso.

É uma espécie de diagrama, contendo os espaços especificados por uso (salas, dormitórios, banheiros e etc.,) e seus acessos e circulação (portas, janelas e corredores), como se estivéssemos olhando de cima sem a cobertura (laje ou telhado).

Veja também:  Bioarquitetura: o que é, sua importância e principais características

É necessário possuir a planta baixa da residência com todas as cotas (medidas) necessárias para o cálculo do projeto elétrico.

Quadro de cargas e dimensionamentos

quadro de cargas e dimensionamentos

No quadro de cargas é onde vai iniciar o dimensionamento dos circuitos, da alimentação (medidores) e o balanceamento de cargas (que se aplica em bifásico e trifásico).

O quadro de cargas elétricas deve incluir os cálculos por circuitos e também a tabela do quadro de cargas, que deve indicar itens como:

  • Quantidades de lâmpadas/tomadas por circuito e as respectivas cargas;
  • Carga total de cada circuito;
  • Secção das fiações em cada circuito;
  • Disjuntores termomagnéticos (DTM);
  • Dispositivo diferencial residual (DR);
  • Fases de cada circuito;
  • Descrição e identificação do circuito (incluindo tipo de uso);
  • Proteção geral do quadro (DTM e cabos de alimentação);
  • O quadro de cargas também pode constar observações que o projetista considerar importante.

Se você optou por fazer seu projeto no CAD com o uso do plug-in de elétrica AditivoCAD, ou através do programa Lumine o quadro é gerado automático. Ou então, você pode facilitar elaborando uma planilha Excel para calcular valores como somatórias de cargas por circuitos.

Nesta mesma fase de projeto você vai estabelecer finalmente o medidor. Alguns projetistas também fazem esta escolha na fase inicial do projeto, assim que se obtém a previsão de cargas, o único problema de começar na fase inicial é se houver grandes alterações no decorrer do projeto você acaba tendo que refazer tudo.

Como fazer projeto elétrico residencial?

projeto elétrico residencial

Sem dúvida, uma das preocupações em construir uma moradia é a execução correta das instalações elétricas, que tenha durabilidade, bom funcionamento, conforto e segurança.

Assim que concluído o projeto arquitetônico, o projetista receberá em suas mãos, no qual conhecerá a planta baixa do projeto elétrico residencial. Em reunião com o cliente e o arquiteto, definirá os principais pontos a executar, tipo de iluminação desejada entre outros.

O que o arquiteto e o cliente deixarem em aberto, caberá ao engenheiro eletricista definir, portanto este deverá apresentar a melhor solução que atenda a viabilidade econômica, seguindo as normas técnicas e de segurança.

Passo a passo de um projeto elétrico residencial

  • Dimensionamento dos circuitos;
  • Levantamento da potência total da instalação;
  • Divisão dos circuitos da instalação;
  • Dispositivos de Proteção;
  • Simbologia elétrica do projeto;
  • Lista de materiais e orçamento.

Normas técnicas de um projeto elétrico residencial

Todas as fases da elaboração de um projeto elétrico residencial são muito importantes, portanto, é imprescindível o conhecimento e aplicação responsável das regras pela NBR-5410, visando obter uma instalação segura e com qualidade.

NBR-5410

nbr 5410

No Brasil, a execução e a manutenção das instalações elétricas residenciais são regidas pela norma NBR-5410/2004, ela é bastante enfática quanto à segurança das pessoas e de bens patrimoniais em todas as suas prescrições e recomendações técnicas.

Quando se fala de eletricidade ou qualquer assunto relacionado, o primordial é a segurança.
Eletricidade é um fenômeno manipulável, mas não totalmente dominado, por isso, para os profissionais desta área existem uma série de recomendações, as NBR’s.

A norma também estabelece que instalações elétricas de baixa tensão devam operar em um limite estabelecido de até 1000 volts como o limite para a baixa tensão em corrente alternada e de 1500 volts para a corrente contínua, sendo a frequência máxima de aplicação desta norma de até 400 Hz.

NBR-5410 se aplica:

Como falamos anteriormente, a NBR-5410 é uma normatização às instalações prediais, os tópicos abaixo esclarecem e exemplificam a aplicação desta norma em um projeto elétrico residencial.

  • Áreas descobertas externas a edificações;
  • Locais de acampamento, marinha e instalações análogas;
  • Instalações temporárias como canteiros de obras, feiras, etc.;
  • Circuitos elétricos alimentados sobtensão nominal igual ou inferior a 1000 V em corrente alternada (CA), frequência inferior a 400 Hz, ou a 1500 V e corrente contínua (CC) (modificação vinda da norma NR-10, que estabelece o que é baixa tensão);
  • Circuitos elétricos que não estão dentro de equipamentos, funcionando sobre tensão superior a 1000 volts, e alimentados por uma instalação igual ou inferior a 1000 volts e corrente alternada. Circuitos de lâmpadas de descarga, por exemplo;
  • Fiações e redes elétricas que não estejam cobertas pelas normas relativas aos equipamentos de utilização;
  • Linhas elétricas fixas de sinal com exceção dos circuitos internos dos equipamentos;
  • Instalações novas e já existentes, sobre reforma.

NBR-5410 não se aplica:

Alguns dos tópicos citados pertencem a normas próprias e específicas a instalação, mesmo estando dentro das instalações de baixa tensão, por isso a NBR-5410 não se aplica aos mesmos.

  • Instalações de tração elétrica;
  • Instalações elétricas de veículos motores, carros elétricos, por exemplo;
  • Instalações de embarcações e aeronaves;
  • Equipamentos para supressão de perturbações radioelétricas, na medida em que não comprometa a segurança das instalações;
  • Iluminação pública;
  • Redes públicas de distribuição elétrica
  • Instalações de proteção contra quedas diretas de raios, porém esta norma considera as consequências dos fenômenos atmosféricos sobre as instalações, por exemplo, seleção dos dispositivos de proteção contra sobre tensão;
  • Instalações em minas;
  • Instalações em cercas elétricas.

Normas existem para regulamentar, trazer uma igualdade as demais instalações elétricas e melhorar o âmbito de qualidade do projeto elétrico residencial.

Materiais necessários para um projeto elétrico residencial

O sistema elétrico de uma residência vai muito além de fios e circuitos, se bem executado, vai atuar em conjunto com a arquitetura e trazer mais conforto para o ambiente.

projeto elétrico residencial

Para te ajudar a evitar dores de cabeça ou aquele remorso em saber que poderia ter economizado, preparamos uma lista com os materiais elétricos necessários para sua residência.

Disjuntor:

Um disjuntor é um dispositivo eletromecânico, que funciona como um interruptor automático, destinado a proteger uma determinada instalação elétrica contra possíveis danos causados por curto-circuitos e sobrecargas elétricas. A principal função do disjuntor é proteger a instalação elétrica e seus equipamentos. Por isso, vai depender muito da estrutura da sua residência, dos aparelhos que vão precisar da energia elétrica e dos cabos que compõem a rede.

Cabos e fios:

São eles que vão conduzir a eletricidade com segurança para a sua casa ou apartamento e circuitos. Fazem parte do esqueleto do imóvel vários metros desses fios – muitas vezes nem nos damos conta, já que ficam escondidos.

Para saber o tamanho e a espessura do cabo, precisaremos saber a potência da corrente elétrica dos equipamentos que esses cabos e fios vão alimentar. É de extrema importância que eles sejam de qualidade para evitar possíveis curtos-circuitos.

Eletrodutos e tubos:

Eles são responsáveis por proteger a fiação de serem danificadas pelas forças da natureza como sol, ventos, chuvas e também forças humanas como pisadas.

Veja também:  4 arquitetos brasileiros com os quais podemos nos inspirar

Interruptor:

interruptor projeto elétrico residencial

Com certeza estará em todos os cômodos para ligar e desligar a luz. Existem vários modelos e marcas. A sua escolha irá depender da praticidade que você quer e também da decoração e estética do ambiente.

Lâmpada, lustres e luminárias:

Na hora de comprá-los será importante saber:

  • Potência;
  • O tipo (se será de LED ou fluorescente);
  • Formato;
  • Economia e durabilidade;

Na maioria dos casos, as de LED serão a melhor opção. Já os lustres e luminárias possuem uma função mais importante no momento da decoração dos cômodos.

Tomadas:

Outro equipamento que também temos contato direto. O ideal é que você instale as tomadas de padrão brasileiro.

Além de ter tudo padronizado na sua casa, a compatibilidade com os aparelhos será mais fácil. Elas podem ser de 10 amperes, para aparelhos mais comuns, ou 20 amperes, para aqueles que precisam de mais força.

Adaptadores:

Mesmo com as tomadas padronizadas em todos os cômodos, alguns produtos podem ter um encaixe diferente. Então será preciso o uso de adaptadores.

Sempre bom ter em casa, assim como o já conhecido “T”, em que será possível ligar mais de um aparelho ao mesmo tempo – com muita atenção para não sobrecarregar o circuito e ocasionar um curto-circuito.

Fita isolante:

Diria que um acessório útil e fácil de se ter em casa. Entre o modelo mais simples e outros com funções mais específicas, o objetivo é isolar os fios elétricos com segurança, nas mais diferentes superfícies.

Como dividir a instalação em circuitos?

instalação de circuitos projeto elétrico residencial

O circuito elétrico é o conjunto de pontos de consumo (pontos de luz e tomadas), alimentados pelos mesmos condutores e ligados ao mesmo dispositivo de proteção.

Para que a divisão seja adequada e siga as normas, devem ser observadas as seguintes restrições:

  • A carga total deve ser dividida de modo a construir circuitos de potências próximas, porém sem ultrapassar 1.200 watts em distribuições de 110 volts e 2.200 watts em distribuição de 220 volts;
  • Devem ser previstos circuitos particulares para aparelhos de potência igual ou superior a 1.200 watts em distribuições de 110 volts e de 2.200 watts em distribuições de 220 volts (chuveiros elétricos, aquecedores de água, fogões, máquinas de lavar, ar condicionado, etc.);
  • Todo ponto onde a corrente nominal for superior a 10A deve ser instalado um circuito independente;
  • Deve ser previsto pelo menos um circuito para cada 60m² ou fração da residência;
  • Os pontos de cozinha, copas, copas-cozinhas, áreas de serviço, lavanderias e locais análogos devem ser atendidos por circuito exclusivamente destinado a alimentação de tomadas desses locais. Nestes cômodos, geralmente estão os eletrodomésticos mais potentes de uma casa e por isso seus circuitos são mais carregados, devem ser distintos dos demais para evitar aquecimento indevido ou sobrecarga.

Circuito elétrico

Circuito elétrico é uma ligação de elementos, como geradores, receptores, resistores, capacitores, interruptores, que passa por meio de fios condutores, formando um caminho fechado que produz uma corrente elétrica.

Como funciona um circuito elétrico?

Aplicando uma diferença de potencial em um circuito elétrico usando, por exemplo, uma pilha, os elétrons passam a fluir nesse circuito até que essa pilha descarregue totalmente. Parte da energia de cada um desses elétrons é então captada e utilizada pelos diferentes elementos do circuito, transformando-a em diferentes formas de energia, como luz, som, movimento, calor, etc.

Então de acordo com seus componentes básicos, um circuito elétrico pode ter diversas funções:

  • eliminar picos de corrente elétrica, que são prejudiciais para alguns aparelhos mais sensíveis;
  • aumentar a tensão elétrica de entrada ou, até mesmo, abaixá-la;
  • transformar uma corrente alternada em uma corrente contínua;
  • aquecer algo, entre outras.

Dispositivo de proteção

São três os principais dispositivos de proteção aplicáveis a instalações prediais:

  • disjuntor termomagnético (DTM);
  • diferencial residual (DR);
  • dispositivo de proteção de surto ou sobretensões (DPS).

Disjuntor termomagnético (DTM)

Disjuntor termomagnético (DTM)

O disjuntor é um aparelho de manobra e de proteção conta sobrecarga e sobrecorrente que dispara perante o excesso de calor atípico que tem corrente excedente.

Esse equipamento é facilmente encontrado no mercado em tipologias com vários números de polos e é dimensionado pelo tipo/número de polos (monopolar, bifásico ou trifásico) e quanto à corrente de curto-circuito (disjuntor da curva B, C ou D).

Diferencial residual (DR)

Diferencial residual (DR)

O DR é um excelente dispositivo para proteger as pessoas dos choques. O DR desliga automaticamente quando alguém toca a superfície de um condutor carregado eletricamente.

Geralmente isso acontece quando está funcionando normal (contato direto) ou quando alguém toca uma superfície que normalmente não tem energia, mas basta existir uma falha de isolamento dos fios condutores que passa a conduzir energia (contato direto).

Dependendo das condições do projeto, o DR pode ser instalado por ponto, por circuito ou por grupos de circuitos. Geralmente é instalado na cozinha, lavanderia e banheiro, assim, antes de ocorrer um choque, o disjuntor DR desliga o circuito.

Dispositivo de proteção de surto ou sobretensões (DPS)

Dispositivo de proteção de surto ou sobretensões (DPS)

O DPS é um dispositivo de proteção que previne que os equipamentos da construção protegida queimem. Quando um raio atinge a parte elétrica da construção, ele bloqueia a corrente elétrica desse raio de invadir o sistema elétrico da casa e queimar o que ver pela frente.

O DPS tem que estar de acordo, com a NBR-5410, quando a equipotencialidade não é o suficiente para impedir o aparecimento de tensões de contato perigosas.

Os dispositivos DPS devem ser dimensionados pela tensão nominal do sistema de alimentação e pela tensão de proteção. Junto com os para-raios, os DPSs constituem um sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) regulamentadas não só pela ABNT NBR-5410, mas também por outras normas técnicas.

Quadro de distribuição

projeto elétrico residencial

O quadro de distribuição é um equipamento elétrico destinado a receber energia elétrica de uma ou mais fontes de alimentação e distribui-las a um ou mais circuitos (também conhecido como painel de disjuntores ou simplesmente painel elétrico).

Os disjuntores, conforme vimos, servem para proteger os circuitos que alimentam as cargas em todo o ambiente.

Existem dois barramentos contendo os condutores neutros e de proteção, um deve estar isolado eletricamente do quadro de distribuição e o outro (de proteção) tem que estar acoplado a ele, constituindo, a proteção dos circuitos contra choques no contato indevido com superfícies de energia, sendo que este se encontra ligado ao aterramento geral da instalação.

O que é barramento no quadro de distribuição?

O barramento elétrico é um elemento presente em alguns modelos de quadro de distribuição, é um pedaço de cobre ou alumínio que serve para a condução de eletricidade.

Veja também:  5 coisas que você precisa saber sobre o curso de arquitetura!

Como interpretar um diagrama elétrico?

A leitura e interpretação de diagramas são essenciais no sucesso de um projeto elétrico residencial e para a carreira de um bom eletricista, pois o diagrama elétrico proporciona uma linguagem comum a qualquer eletricista, uma vez que o desenho é uma representação visual universal.

Desta maneira se você sabe ler um diagrama elétrico aqui no Brasil você vai saber ler um diagrama elétrico lá na China, a escrita é totalmente diferente, mas o fundamento do diagrama vai ser o mesmo.

Existem quatro tipos de diagrama elétricos

  • Diagrama funcional;
  • Diagrama multifilar;

diagrama multifilar projeto elétrico

  • Diagrama unifilar;

diagrama unifilar projeto elétrico

  • Diagrama trifilar;

A praticidade que o diagrama proporciona ao profissional que realiza uma manutenção é tão grande quanto à segurança que o mesmo propicia, os acidentes em eletricidade acontecem bem menos em instalações que possuem diagramas corretos e atualizados.

Simbologia de projeto elétrico residencial

Simbologia de projeto elétrico residencial

A simbologia elétrica é a representação gráfica e escrita dos componentes na instalação com todos os seus detalhes na planta do projeto elétrico residencial.

A simbologia elétrica na norma NBR-5444 é baseada em figuras geométricas simples e permite a representação adequada dos dispositivos elétricos. Esta norma se baseia na conceituação simbólica de quatro elementos geométricos básicos: o traço, o círculo, o triângulo equilátero e o quadrado.

Existem muitos símbolos, passam de 64 símbolos elétricos, da NBR-5444 mais usados em projetos elétricos.
Ou seja, são muitos símbolos representativos que antecedem soluções, problemas, indicações de produtos internos e externos, neutros ou não. Contudo, tudo para uma boa interpretação e agilidade em momentos oportunos para ganhar tempo.

Quais os melhores softwares para desenho técnico?

programa desenho técnico projeto elétrico residencial

Já faz muito tempo que a entrega de projetos de arquitetura feitos manualmente não tem boa aceitação no mercado.
Se você quer fazer um projeto elétrico residencial perfeito, existem alguns softwares que indicamos a você:

AutoCAD

  1. Criação e edição de geometria 2D e modelos 3D com objetos sólidos, superfícies e objetos de malha;
  2. Faça anotações em desenhos com texto, dimensões, tracejados e tabelas;
  3. Personalize com APIs e aplicativos complementares.

O AutoCAD agora inclui recursos específicos do setor e objetos inteligentes para arquitetura, engenharia mecânica, projeto elétrico residencial e mais.

  • Automatize plantas de piso, elevações e seções;
  • Desenhe tubulações, dutos e circuitos rapidamente com bibliotecas de peças;
  • Gere automaticamente anotações, camadas, agendamentos, listas e tabelas;
  • Utilize um fluxo de trabalho controlado por regras para impor normas do setor com precisão.

Se você gostou desse programa, nós temos o curso de AUTOCAD para você, que vai ajudar muito mais nos seus projetos arquitetônicos. Conheça nosso curso e aproveite.

Lumine

O Lumine tem como um recurso importantíssimo, a possibilidade de gerar esquemas verticais dos condutos, que interligam todos os quadros elétricos da instalação.

Na realização de um projeto de arquitetura, lançam-se vários quadros que são interligados uns aos outros por meio de condutos, que irão formar uma rede de distribuição de circuitos alimentadores para toda a instalação.

Para calcular o dimensionamento e realizar corretamente a instalação, é preciso que a associação de quadros esteja correta e que não haja nenhum quadro lançado de forma errada.

Revit Eletric

O Revit: programa de Modelagem de Informações de Construção ajuda engenheiros, projetistas e empreiteiros das disciplinas de mecânica, elétrica e hidráulica a modelar em um alto nível de detalhe e a cooperar com colaboradores de projetos de construção.

Podemos usar o REVIT para vários setores específicos, como estamos falando de projeto elétrico residencial, ele é um software que pode trazer um acabamento perfeito no seu desenho.

Conheça o curso de Revit.

Arquitetura do projeto elétrico residencial

Quando se pensa em construir um imóvel, é necessário ter um projeto elétrico residencial, que faz parte do projeto completo de arquitetura. É ali onde todas as etapas do planejamento são definidas.

Quando começar o projeto, analise a planta baixa (arquitetura) preferencialmente com o mobiliário (Layout). Conhecer o Layout é de suma importância para que possa locar os pontos de tomadas e iluminação corretos.

O layout arquitetônico costuma ser suficiente em projetos de elétrica residencias menores. Mas em se tratando, por exemplo, de projetos de sobrados ou mesmo arquitetura com vários níveis em uma topografia, é importante ter em mãos cortes e mais detalhes do projeto elétrico residencial.

Quem pode ser projetista elétrico?

Qualquer pessoa com conhecimento técnico suficiente pode ler os cálculos estruturais de projetos elétricos, mas somente técnicos, arquitetos e engenheiros registrados no conselho competente de classe que é o CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) ou o CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo) são quem pode efetivamente se responsabilizar tecnicamente por um projeto.

Todavia adquirir conhecimento é só mais um passo para se tornar um profissional que esteja registrado e respaldado para assinar projetos de elétrica residenciais.

Conclusão

Deu para perceber que o sistema é complexo e a variedade de assuntos é enorme quando se trata de projeto elétrico residencial. Cada caso é um caso, e muita coisa vai depender do que você quer para o seu projeto elétrico residencial.

É muito importante saber dimensionar a instalação e o pleno conhecimento das normas técnicas que determinam e auxiliam a realização do projeto.

Neste artigo aprendemos juntos temas e subtemas que te ajudarão a ser um grande profissional e a assinar seus projetos arquitetônicos com mais confiança.

E se você quiser aprender mais sobre projeto elétrico residencial ou outros assuntos, não deixe de acompanhar as minhas páginas nas redes sociais, lá eu compartilho várias dicas para ajudar você no seu aprendizado.

Abraços, até mais.